28 de outubro de 2021

Ação ordinária: o que é? Quais são suas características?

São muitos os caminhos que um investidor pode trilhar no momento de adquirir algum tipo de ativo. Pode ser difícil escolher entre fundos, títulos, moedas ou ações, que podem ser divididas em ordinárias e preferenciais

A partir dessas diferentes classificações, as maiores dúvidas dos investidores são: o que são essas ações? O que as torna diferentes das outras? Quais dão mais ou menos rentabilidade? 

Este conteúdo tem como objetivo responder essas questões e deixar você ainda mais por dentro de todo o mercado de ações, pronto para atingir ótimos resultados em rendimentos como um investidor bem instruído é capaz de alcançar.

O que é uma ação ordinária?

Sendo uma parcela do capital social de uma companhia, confere ao seu titular o poder de voto em assembléias gerais da empresa, podendo o mesmo influenciar em tomadas de decisão e no direcionamento administrativo da empresa, mas sem o direito preferencial aos seus dividendos. 

Assim como outras ações brasileiras, a ação ordinária exige que seu proprietário esteja identificado no Livro de Registros da empresa. É um tipo de ação que pode ser encontrada tanto em empresas de capital fechado como de capital aberto. 

Vantagens das ações ordinárias

Além da já citada vantagem em poder influenciar diretamente as decisões da empresa, podendo assim alinhá-las aos seus planos e convicções, um membro atuante em seus investimentos conta com a Lei das Sociedades Anônimas, que institui que:

  • As dívidas da empresa não são de responsabilidade do acionista ordinarista.
  • Caso a empresa seja vendida, o acionista ordinarista deve receber, por direito, pelo menos 80% do valor recebido pelo acionista controlador por suas ações. 

Dentro do cenário de venda da empresa investida, ainda é importante mencionar que o acionista ordinarista ainda possui direito ao tag along, que nada mais é do que um benefício de participação no prêmio em casos de transferência ou venda da companhia.

Como identificar uma ação ordinária?

Para reconhecer uma ação ordinária, basta procurar pelo dígito 3 ao final do código da ação. 

Para facilitar a compreensão e a identificação dessas ações – que sempre se apresentam por meio de um conjunto de 4 letras e 1 número –, trouxemos alguns bons exemplos que podem ser encontrados na bolsa de valores brasileira. Confira:

  • PETR3: Petrobras;
  • VALE3: Vale;
  • MGLU3: Magazine Luiza;
  • ABEV3: AMBEV;
  • B3SA3: B3 (antiga Bovespa);
  • BRML3: Grupo brMalls;
  • EMBR3: Embraer;
  • BBAS3: Banco do Brasil;
  • JBSS3: Frigorífico JBS.

As diferenças entre ações ordinárias e ações preferenciais

Seguindo a mesma métrica nominal das ações ordinárias, as ações preferenciais trocam apenas o número 3 pelo número 4 (exemplo: PETR4 – Petrobras). 

Porém, suas diferenças vão além do numeral no sufixo, e entender quais são esses pontos de distinção pode fazer toda diferença no momento de investir. Seguem alguns exemplos:

  • BBDC4: Banco Bradesco;
  • AZUL4: Azul SA;
  • VALE4: Vale;
  • ITUB4: Banco Itaú;  
  • LAME4: Lojas Americanas;
  • BIDI4: Banco Inter.

A principal característica da ação preferencial (PN) é fornecer prioridade quando acontecem os pagamentos de dividendos e nos reembolsos de capital, em caso de liquidação da empresa.

Assim, por possuir uma maior liquidez, geralmente as ações preferenciais atendem melhor o pequeno investidor, visto que é mais fácil negociá-las na bolsa de valores, além de permitir uma rentabilidade maior e de forma mais rápida. 

Investidores de ações ordinárias recebem dividendos?

Ações preferenciais possuem sim prioridade em relação aos dividendos no lucro do investimento, mas isso não quer dizer que acionistas ordinários não tenham acesso a esses valores. 

Vamos entender o caso: ao lucrar, a empresa irá, antes de tudo, distribuir os dividendos entre seus acionistas preferenciais, e pode até pagar porcentagens maiores que a de outros acionistas. 

Ao mesmo tempo, ao falir, acionistas PN também estarão à frente na fila do reembolso de seus investimentos, salvo os casos em que a empresa se extingue antes mesmo de pagar seus acionistas ordinários. Neste caso, o capital investido pode não ser recuperado.

É importante lembrar que qualquer tipo de acionista, seja preferencial ou ordinário, não possui responsabilidade alguma com as dívidas contraídas pela empresa. 

O que preciso saber para investir na bolsa?

Antes de definir qual tipo de ação, fundo, título ou moedas você vai investir, é fundamental que se tenha plena clareza de seus objetivos a curto, médio e longo prazo. Esse pré-planejamento evita frustrações e até mesmo prejuízos, como:

  • Realizar movimentos financeiros baseados na emoção e não na estratégia mercadológica. 
  • Escolher investimentos de longo prazo e necessitar de liquidez imediata. 
  • Optar por produtos de risco sem esperar as oscilações de mercado. 

Agora, se você é um investidor mais ligado a um perfil conservador e não gosta de arriscar nos valores investidos, pode ser mais interessante optar por outras opções mais adequadas, como é o caso da renda fixa, como CDB, LCI, LCA e também o Tesouro Direto

Investimento certeiro e profissional

Agora que você já sabe como funcionam as ações e suas principais características, conte com a Mérito para descobrir qual é o seu perfil de investidor e também quais são os melhores fundos para seus objetivos. 

Invista seu capital de forma segura e atinja resultados sempre consistentes. Entre em contato com a Mérito Investimentos!

Voltar