18 de novembro de 2021

Entenda como o Imposto de Renda funciona nos fundos imobiliários

Em diversos países do mundo, o imposto é a maior forma de contribuição da população para auxiliar o governo com as despesas administrativas. Esse valor é retirado, automaticamente ou não, de parte dos ganhos de cada pessoa. Aqueles que deixam de pagar impostos podem ter problemas futuros, como multas e até punições legais. 

No Brasil, para arrecadar impostos, o governo utiliza o já conhecido Imposto de Renda. Por meio do IR, as pessoas declaram todo o seu lucro obtido em um determinado período, seja ele passível ou não passível da cobrança de impostos. Além disso, o governo também usa dessa ferramenta para controlar o crescimento ou o declínio dos rendimentos da população.

Na hora de declarar o Imposto de Renda, é importante informar para a Receita Federal todos os seus rendimentos – desde o salário e os investimentos até os bens, como carros e imóveis –, mesmo que eles não sejam tributáveis.

Um exemplo de rendimento não tributável é o rendimento mensal de um imóvel, proveniente dos fundos imobiliários e distribuído de forma proporcional entre todos os acionistas daquele FII em questão.

Mas, afinal, a isenção da taxação sobre dividendos dos FIIs não deixou de existir?

Em junho de 2021, uma taxação de 15% sobre os dividendos distribuídos pelos Fundos de Investimentos Imobiliários foi apresentada pelo governo brasileiro e provocou grande movimentação no mercado financeiro.

Entretanto, o deputado Celso Sabino, do Partido Social Liberal, modificou o projeto da reforma tributária que propunha essa taxação, voltando a proteger os dividendos das tributações.


Nesse cenário, a única maneira para a tributação de IR ocorrer no caso dos FIIs é quando o cotista decide vender sua participação no fundo. Caso contrário, as pessoas que utilizam seu CPF para investir continuam se beneficiando da isenção de impostos ao receber seus proventos.

Além disso, a tributação sobre os rendimentos não deixa de existir para:

 

  • investidores que aplicam seu dinheiro como pessoa jurídica;
  • fundos com menos de 50 cotistas;
  • pessoas físicas com participação em mais de 10% de um fundo.

E como fica o mercado de fundos imobiliários? 

No Brasil, as pessoas continuam em busca de um novo imóvel. Nos últimos anos, isso se tornou um ponto extremamente positivo para o mercado imobiliário e, consequentemente, para quem investe em FIIs também.

Além disso, os fundos de logística, como galpões, armazéns e centros de distribuição, passaram a ser destaque entre os FIIs disponíveis no mercado. E isso sem falar sobre as lajes corporativas, que também vêm chamando a atenção de empresários e empresas que estão retomando as suas atividades presenciais.

Ainda assim, é importante lembrar: apesar de serem ótimas opções para diversificar sua carteira, é necessário analisar com cautela e entender de que forma esses fundos podem se encaixar na sua vida. E é aí que a Mérito Investimentos pode ajudar você!

Somos uma gestora independente de fundos de investimento e especializada na gestão de ativos imobiliários. Buscamos a preservação do capital dos nossos cotistas, oferecendo soluções adequadas às necessidades de investimento de cada cliente.

Conte com o nosso time de especialistas para ajudar na gestão dos seus ativos e na atualização das principais notícias do mercado imobiliário.

Voltar