11 de janeiro de 2021

Dividendos de fundos imobiliários: o que você precisa saber

Quem investe em FIIs obtém retorno principalmente através de rendimentos, que são distribuídos todos os meses. Saiba o que são os dividendos de fundos imobiliários e como são calculados antes de escolher um novo investimento.

O que são dividendos de fundos imobiliários

Os dividendos de fundos imobiliários são basicamente a distribuição dos rendimentos.

Ao adquirir fundos de investimento imobiliário, além de diversificar a carteira de investimentos, você se torna dono de uma fração dele. A partir dos lucros dos ativos imobiliários que compõem o fundo, uma renda é gerada aos cotistas. No caso dos fundos de tijolo, por exemplo, o investidor garante o direito de receber uma parte dos lucros correspondentes à parte do imóvel que ele é dono.

Na regulamentação dos fundos imobiliários, há obrigatoriedade de distribuição, na forma de rendimentos, de no mínimo 95% dos lucros. Por isso, os dividendos de fundos imobiliários costumam ser um grande atrativo para quem quer investir.

Os dividendos dos FIIs costumam ser pagos mensalmente, sendo a data-base o último dia útil do mês. Para ter direito aos rendimentos do mês, você deve ter comprado seu fundo até essa data. Isso varia de acordo com o fundo adquirido e pode ser conferido junto a sua corretora.

Como são calculados os dividendos imobiliários?

Existem diversos tipos de fundos imobiliários, para cada perfil de investidor. Antes de escolher o seu, saiba que alguns indicadores são levados em conta para um FII ser considerado vantajoso. Vale lembrar que, por serem investimentos de renda variável, não há garantia de resultado futuro, entretanto, é interessante a análise do histórico de rendimentos para pautar a escolha entre os diversos produtos disponíveis no mercado.

Voltando ao cálculo dos dividendos:  eles são calculados dividindo os proventos gerados pelo montante de cotas e o investidor receberá este resultado multiplicado pela quantidade de cotas em sua posse..

O indicador mais conhecido é o dividend yield (rendimento de dividendos, ou DY) que calcula a relação entre os valores distribuídos aos cotistas ao longo dos últimos 12 meses e o o preço da cota negociado no fechamento do período,  como fórmula abaixo:

Apesar de importante, o dividend yield não deve ser considerado o único fator para escolher um fundo imobiliário. Por isso, para encontrar FIIs com bons dividendos, leve em conta também os seguintes aspectos:

  • valor patrimonial (P/VP);
  • liquidez do fundo imobiliário;
  • qualidade da gestão do FII;
  • tipo de gestão (se ativa ou passiva);
  • representação no IFIX;
  • data de vencimento dos contratos em relação a receita gerada por imóveis ou títulos recebíveis;
  • quantidade de ativos do portfólio escolhido.

Entenda a tributação sobre dividendos de fundos imobiliários

A tributação sobre dividendos de fundos imobiliários ocorre pela cobrança de impostos em relação ao percentual de lucros que são destinados aos cotistas. Sendo que no caso dos investimentos imobiliários, os dividendos são distribuídos aos investidores já livres de impostos, visto que eles recaem sobre a empresa, com uma tributação média de 35% (alíquota de 15% somada a 10%, caso a média do lucro tenha sido superior a R$20mil por mês) sobre o lucro real.

Portanto, pessoas físicas não sofrem tributação em FII no Brasil desde que o fundo investido seja negociado em bolsa, possua mais de 50 cotistas, e que o cotista não detenha mais de 10% do fundo, conforme estabelecido pela Lei Nº 9.249 em 1995. No caso de pessoas jurídicas, a alíquota sobre os rendimentos é de 20%.

Caso você ainda tenha dúvidas ou esteja buscando um suporte de confiança na hora de investir, entre em contato com a Mérito Investimentos!

São mais de 10 anos de experiência na gestão de ativos imobiliários, com habilidade para te ajudar a encontrar o melhor investimento para o seu perfil.

Voltar